24 de mai de 2017

Deixar Ir – A Última Prova de Amor. – Por Marcos A. Junior



Acredito que o seu pensamento primário ao ler o título deste texto foi: “O que diabos ele está dizendo?”. Não, eu não estou enganado quanto ao que disse. Foi exatamente isso que quis falar. Esta é uma ponderação muito válida, ao menos no meu ponto de vista. Contradizendo as várias de definições referentes ao amor, como a mais básica, encontrada em um site de busca na internet: forte afeição por outra pessoa, nascida de laços de consanguinidade ou de relações sociais” ou até “afeição baseada em admiração, benevolência ou interesses em comum”, deixar o indivíduo ao qual já se declarou total afeição, por mais que queiramos que o mesmo permaneça eternamente ao nosso lado, partir para uma nova fase da vida é uma demonstração clara do mais nobre carinho. Entenda que o amor possui várias fases e subfases embutidas na grandeza de tal apreço. De uma forma mais sucinta, poderíamos decompor assim: Fase um, paixão, onde existe todo o fogo ardente compartilhado entre os corpos. Fase dois, companheirismo, onde o casal torna-se realmente, mas não literalmente, um. Fase três, desencanto, por onde apenas os casais realmente empenhados em seguir em frente passam, pois é a fase onde tudo dá errado e as dúvidas acerca das escolhas começam a surgir. Fase quatro, realidade amorosa, onde os casais readquirem a força do amor existente no início, mesmo sem ter todo aquele calor instintivo, e aceitam que enfrentar juntos é melhor que desistir um do outro. E, por último, mas não menos importante, a última fase, onde poucos casais conseguem chegar: O amor compartilhado, não em redes sociais, que é a paz e alegria que emanam do casal e afetam, positivamente, a todos que estão ao redor.
A maioria dos casais param na terceira fase desta ligação. É nesta etapa que grande parte dos pares são desfeitos e os traumas são registrados, gradativamente, de acordo com o tempo de duração da união. É no terceiro estágio também que este texto é focado. Existem momentos de um relacionamento em que as características são analisadas mais friamente, quando os indivíduos desapegam um pouco da parte emocional e deixam-se ser levados pela razão, ao menos em análises primárias. Apesar da magnitude do sentimento, é necessário, ao menos uma vez, ser levada em consideração a questão racional do relacionamento. As projeções futuras, por mais passíveis a erros que sejam, pois o futuro é um devaneio desconhecido, são inevitáveis. As perguntas surgem e o medo das possíveis divergências porvindouras, além das discordâncias habituais a todo casal, fazem com que as pessoas tomem decisões precipitadas, apesar de tais resoluções prévias às vezes gerarem resultados até melhores que os erros passados, onde a decisão por continuar não mostrara-se realmente positiva para as partes. Quando o relacionamento chega a esse ponto, onde as dúvidas acerca do futuro divergem e as opiniões começam a tornarem-se cada vez mais distintas, talvez seja melhor, para ambos, decidir pelo fim. Entenda que quanto maior o tempo e a intensidade dos relacionamentos, mais difícil é a aceitação do desfecho antecipado, muito longe daquele “final feliz”. São grandezas inversamente proporcionais. Os traumas mentais são irremediáveis. Não existe um só momento, após o término, em que as lembranças não maltratem os corações recém solitários. Porém, indo de encontro a tal lógica tão robusta, talvez tenha sido melhor para os dois, mesmo que o entendimento do “bem causado” só venha a acontecer no futuro.
Relacionamentos desconcertados geram pessoas que não encontram-se em si e isso produz infelicidade, seja no momento atual, por mais que achem que aquela sensação de falta repentina seja pela quebra de rotina sentimental, ou no futuro, quando as vidas estarão ainda mais entrelaçadas e não existirão tantas saídas para desenvolver uma potencial felicidade. Trocar algo concreto no presente por uma possibilidade, mesmo que mínima, no futuro é extremamente complicado, sabendo-se que existe uma chance real de esse horizonte porvindouro nunca ser avistado. No entanto, a liberdade mental deve ser alcançada de qualquer maneira, mesmo que com as várias dores emocionais causadas pelo término. Alguém que nunca sentiu-se emocionalmente livre após um marco conclusivo, dificilmente estará pronto para uma nova viagem por tal atalho à felicidade. Essa afirmação é verdadeira. A libertação total da mente, após o fechamento de um ciclo, é o caminho mais curto para uma nova afeição tão intensa quanto, ou ainda mais. Tendo tal “norma” imposta pela vida nítida na consciência, apesar de todas as dificuldades enfrentadas com as várias lembranças e todas as outras incisões retóricas, deixar que o outro vá embora, por um tempo ou para sempre, é uma condição libertadora. Não falo de libertar o corpo físico de um ser amado, pois ninguém segura alguém que não quer ficar. Falo de memórias, marcas eternas, que por mais que não desapareçam, e realmente nunca irão sumir completamente, precisam ser abandonadas na eternidade das lembranças.
Esta é a primeira fase do “pós-amor”: Desejar o bem, independentemente. Não falei, em nenhum momento, que seria uma ação simples. Porém, oposto ao pensamento imaturo da maioria, que acham que sentir é podar as hipóteses e centralizar a existência da pessoa amada em si, situação que assemelha-se à posse, e isso é completamente doentio, amar é deixar livre o suficiente para que voltem por livre e espontânea vontade. Deixe ir. Se voltar, ame intensamente. Se não voltar, ame-se inteiramente.

38 comentários:

  1. Acredito quando se trata de amor a insegurança e a pior arma, pois e através dela que o ciumes, a empoderaria, a desconfiança se insta-la, e através disso vamos construindo uma barreira que vai lhe impedir de dar autonomia ao seu parceiro (a), para que a pessoa seja livre para fazer suas escolhas, seja elas qual for, e principalmente de ir e vir, de sair ou ficar. Deixa a porta do coração aberta e algo difícil, que nos gera receio, e medo, mas deve ser manejado de forma bem embasa, para que temos conhecimento de qualquer pessoa poderá ficar ou ir embora sem olhar para trás. Até onde vamos pelo nosso amor, sem deixar de lado nossa auto preservação, e amor próprio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Lana.
      Muito obrigado pelo comentário.

      Excluir
  2. Com certeza, amar não é fácil! Passar por todas essas fases requer muita força de vontade, principalmente vontade de querer ficar com o outro e de construir um futuro juntos. Às vezes o outro não quer isso, aí é a parte difícil.
    Concordo em deixar livre . Têm momentos que a pessoa pode querer saber o que realmente quer e se vai se doar no relacionamento. É melhor do que manter algo que só vai esfriar. Se voltar e for de comum acordo, ótimo! Se não, é seguir em frente ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Bruna.
      Concordo com o que você disse.
      Muito obrigado pelo comentário.

      Excluir
  3. Marcos esses altos e baixos existem mesmos e essas faces nem se fala, mas acima de tudo temos que nos amar e seguir em frente seja da melhor forma possivel para cada individuo... O sofrimento é um sentimento que deixa marcas profundas quando nos doamos por muitos anos para quem quer que seja e o perdao é algo ainda mais complicado.... Cada dia é um passo novo e uma conquista para chegarmos a felicidade plena....

    um bjo

    Glaucia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Glaucia.
      Muito obrigado pelo comentário.
      Beijo

      Excluir
  4. Na amor podemos esperar de tudo, até porque quando Amamos, parece que o nosso cérebro para de funcionar (kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk). Mas é isso mesmo, sempre os pontos bons e os maus. Mas se for amor de verdade, supera, com dificuldade mas supera...👍

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Matheus.
      Sempre superamos tudo, por mais que doa.
      O único mal irremediável é a morte.
      Muito obrigado pelo comentário.

      Excluir
  5. Oi!
    Parabéns pelo texto.
    Sim, amar verdadeiramente, não é nada simples. O amor é complexo e como você citou, envolve muitos pontos. Mas se o sentimento é verdadeiro e profundo, se tem segurança e equilíbrio na relação, tudo é superado. E os pontos negativos, se tornam aprendizado.
    Forte abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Márcia.
      Primeiramente, muito obrigado pelo elogio.
      Você disse a palavra exata para resolver qualquer questão na vida, equilíbrio.
      Obrigado pelo comentário.
      Abraço.

      Excluir
  6. Olá Marcos!
    Parabêns pelo texto, a mensagem realmente é linda.
    Deixa ir uma pessoa que você ama não estando feliz ao seu lado por mais que você queria que fique e a melhor coisa que possa se fazer porque estaria prejudicando ao dois não só a si mesmo. No amor temos nossas inseguranças, medos e muito mais, porém tem momentos que temos que decidir deixa ir aquilo que mais amamos para que possa ser feliz. O sentimento é algo puro, então pra mim deixar ir alguém e para que possa ser feliz.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Lily!
      Com certeza esse é um dos mais nobres gestos de amor.
      É amor em atitudes.
      É colocar a felicidade do outro frente à sua própria.
      Esse é o verdadeiro amor.

      Muito obrigado pelo elogio e pelo comentário.

      Excluir
  7. Oi Marcos ;)
    Adorei demais seu texto! Concordo muito
    Passar por todas as fases que você falou realmente é muito difícil, e concordo que quando o relacionamento se acaba temos desejar o bem, apesar de não ser sempre uma tarefa fácil.
    Como você disse amar é deixar o outro livre o suficiente para que ele volte, se quiser, por livre e espontânea vontade.
    Obrigada por compartilhar seu texto ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Isabela
      É um prazer receber tantos elogios por um pensamento exposto em forma de texto.
      É realmente muito complicado aceitar que as pessoas amadas vão embora, mas faz parte do livre arbítrio.

      Obrigada pelo agradecimento e pelo comentário.
      É um prazer pra mim compartilhar textos com vocês.
      Espero que continue por aqui, pois ainda haverão muitos outros compartilhamentos.

      Excluir
  8. Cada vez mais fico encantada com os seus textos e acredite eles cairiam bem num grupo de terapia para mulheres que amam demais. Muitas vezes elas se esquecem de que o ciúme e a possessão atrapalha os relacionamentos e causam um desgaste. deixar ir ser livre é a maior dádiva que uma pessoa dá a outra!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Adriana.
      Muito obrigado pelo elogio.
      Fico em muito feliz em saber que a minha leiguice é aproveitada de alguma maneira.
      Se for necessário e você tiver conhecimento de alguém que precise ler tais textos, pode indicar.
      Será uma honra tentar ajudar alguém de alguma maneira.
      O amor é perfeito e é somente nisso que acredito.
      Muito obrigado pelo comentário.

      Excluir
  9. Oi.
    Confesso que quando li esse título fiquei surpresa, mas entende onde realmente quis chegar, ter um amor além do status no Facebook é raro, esse companheirismo é por muito buscado mas pouco encontrado, eu simplesmente adorei que o seu texto me fez refletir e mais uma vez não posso deixar de citar o quão bem voce escreve.
    Bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Marlene.
      Surpresa, não é? kkkk
      Era o esperado.
      Sentimentos não prendem ninguém, apenas enlaçam.
      Muito obrigado pelos elogios e pelo comentário.
      Beijo.

      Excluir
  10. Acho que o amor é algo muito difícil de se definir, e concordo que o amor possui várias fases e subfases, realmente a terceira fase citada por você é a mais complicada entre os casais, mas sempre se tem as dificuldades e passar por isso só deixa o casal mais forte e unido, assim passando para as outras fases do amor!
    Simplesmente adorei este texto, ele é muito verdadeiro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Mariele.
      Muito obrigado pelo comentário.
      É realmente importante viver todas as fases do amor, por piores que sejam.
      Até as brigas são importantes, caso seja gerado um entendimento e aprendizagem dos erros.
      Obrigado pelo elogio.

      Excluir
  11. Adorei o texto e concordo demais com o que disse.
    Acho que o "deixar ir" é uma das maiores provas de amor que existe e não, não é nada fácil. Eu não sei se já cheguei ao quarto estágio, tenho minhas dúvidas, mas o que tenho certeza é que se desisti no terceiro não foi por falta de tentativas da minha parte, mas enfim, prefiro não pensar nisso
    Espero um dia chegar ao quinto estágio e ter um relacionamento como o da Lily e do Marshall (sonhooooo!)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Kemmy
      Muito obrigado pelo comentário e pelo elogio.
      Também espero que você consiga chegar à última fase.
      O tempo vai lhe ensinar a ultrapassar as etapas.

      Excluir
  12. Oi, Marcos!!
    Que texto maravilhoso esse!! Gostei muito!! E mais uma vez vi que o sentimento de amor e bem mais de simplesmente dizer para o outro que o ama, mas sim demostrar e desapegar quanto desnecessário, pois se é amor de verdade a pessoa amada vai voltar e ficar com você.
    Beijoss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Marta.
      Obrigado pelo elogio.
      Vocês não sabem o quanto feliz fico com cada palavra de carinho.
      O amor não tem a obrigação de ser mútuo, mas os relacionamentos sim.
      Então, se tiver amor o suficiente, não vão haver partidas.
      Beijo.

      Excluir
  13. Oi Marcos,
    A definição de amor é muito mais do a descrita em qualquer livro ou dicionário, pois um sentimento não deve ser descrito e, sim, deve ser sentido, vivenciado e entendido. Para aqueles que já passaram pelos momentos de maior provação e o relacionamento sobreviveu resta a consolidação de algo concreto e duradouro. Mas quando a relação ainda é nova ou quando os desafios surgem é que tudo muda. Nesses momentos as escolhas devem ser feitas e deixar que alguém vá em busca de algo importante como a realização de um sonho não significa que está desistindo, mas que em nome do amor você está concedendo a felicidade a alguém muito especial.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Crislaine.
      Você entendeu exatamente o que eu tentei propor com o texto.
      Bela interpretação e palavras.
      Obrigado pelo comentário.

      Excluir
  14. Marcos!
    Você já pensou em estudar psicologia? Leva o maior jeito, porque tão novo já fala com propriedade sobre as fases de um relacionamento e ainda dá conselhos tão maduros. Parabéns!
    É bem assim mesmo... Acredito que o amor verdadeiro é aquele onde a pessoa se sente livre para transitar entre suas vontades, pensamentos e ideologia e a união com copanheirismo, afeto e amor. Como sempre digo aqui em casa: quanto mais livre me deixar, mas vontade tenho de retornar... É que escrevo, leio, faço cartas, computador e maridão sente-se, por vezes, só, já que somos apenas nós dois. Isso no passado, porque hoje em dia, já aceitou minhas 'viagens' e temos nnosso tempo juntos muito bem aproveitado. Beiramos a quinta fase...kkkk
    E que todos lembremos que amar é ver o outro feliz e para isso, tem de ter a liberdade, não o egoísmo e a posse.
    “Uma pergunta prudente é metade da sabedoria.” (Francis Bacon)
    Cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Rudynalva!
      Por vezes, lá atrás, quando era realmente muito novo, na época de fim de colégio, pensei, vagamente, mas não levei a sério.
      Hoje, com 29 anos, já formado em dois cursos, não me vejo fazendo nada que não seja escrever, livros, contos, crônicas, pensamentos,...
      Seu comentário em relação à minha crônica é realmente muito válido.
      Concordo em gênero, número e grau com os seus dizeres.

      Muito obrigado pelo comentário e pelo elogio.
      Beijo.

      Excluir
  15. O texto tá incrivelmente bem escrito, mas não me agrada muito na literatura esta demasiada floreação de frases, ainda mais quando estou absorto pelo encanto da madrugada e mal consigo ler uma única frase que faça sentido se não uma frase simples. Mas concordo, no geral. Amor é um temazinho bem porreta, e se forçar a amar é a pior das coisas. Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Felipe.
      Muito obrigado pelo elogio e pelo comentário.
      Abraço.

      Excluir
  16. Olá Marcos...
    Adorei seu texto... Realmente o amor passa por muitas fases... Nem sempre é fácil, mas creio que se é realmente amor, jamais acaba... Afinal devemos lutar para que o verdadeiro amor dure para sempre...
    Abraços...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Cristiane.
      Obrigado pelo elogio.
      Pois é, o amor verdadeiro existe até depois do fim.
      Agradecido pelo comentário
      Abraço.

      Excluir
  17. Que texto lindo!!
    Eu super concordo com você, quando você ama você quer sempre o melhor para o outro , e talvez o melhor para ele (a) seja não estar con você e mesmo que nos doa é necessário deixar ir (quem disse que amar é algo fácil?). Abraços !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Wesley.
      Amar é simples, mas não é fácil, assim como viver.
      Muito obrigado pelo elogio e pelo comentário.
      Abraço.

      Excluir
  18. Oi!
    Gostei muito do texto, amar é realmente um ato de extra coragem, pois é um sentimento que para se completar depende e outro, por isso acaba tendo um final de inúmeras possibilidades, da qual sempre torcemos para a melhor, mas para amar plenamente temos que se maduros para torce sempre pela felicidade de quem amamos !!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Suzana.
      O amor é completo por si só.
      Ama-se o todo, não as partes.
      Relacionamentos tratam de amor refletido, mas o amor vive por si só.
      Muito obrigado pelo elogio e pelo comentário.

      Excluir
  19. Oi Marcos!
    Nossa que texto!! Acho que veio muito a calhar pra uma amiga minha e até compartilhei hehe
    Acredito muito que o relacionamento que possui amor tem mais chances de durar do que um relacionamento onde o mesmo não existe, mas acho que vai muito além do amor. O amor é de fato uma parte enorme do oceano, mas sem companheirismo, amizade, respeito e, acima de tudo, diálogo, nenhum relacionamento vai adiante. Queria, de verdade, que todos os casais compreendessem tudo isso que você disse no texto, geraria dores "menores" e, quem sabe, pessoas mais felizes com aquilo que tem. Abraços! Continue escrevendo <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Hemely,

      espero que o texto possa auxiliar a sua amiga em algo.
      É sempre importante ajudar os outros, mesmo quem não conhecemos.

      Há uma grande diferença entre amar e ter relacionamento.
      O amor é um sentimento e assim como todos os outros, não possui força ativa, falando de ações.
      Relacionamentos envolvem pessoas, que por si só são muito complicadas.
      Tem muitas outras variáveis envolvidas.
      É complicado, mas é importante para o desenvolvimento emocional.

      Muito obrigado pelo elogio e pelo compartilhamento.
      Espero que continue me ajudando dessa maneira.
      Sim, continuarei escrevendo.

      =D

      Excluir