17 de abr de 2017

Resenha - Kalki

Olá leitores!
Hoje trago para vocês a resenha de um livro escrito e publicado na década de 60/70 por Gore Vidal e publicado pela editora salamandra tando sua reimpressão mais recente em 2000 pela editora Rocco.

Sinopse: Velhas escrituras hindus falam-nos do deus KALKI cuja vinda ao mundo significara a destruição da humanidade,à exceção de um punhado de discípulos fieis. Segundo a lenda, os poucos sobreviventes gerarão uma nova raça de homens.
Quem é Kalki e por que ele planeja destruir o mundo e a raça humana para criar uma nova humanidade a partir de si mesmo? A CIA, o Departamento de Combate às Drogas e o Senado dos Estados Unidos o acusam de líder do narcotráfico internacional e agente da KGB disfarçado de místico hindu. Kalki, que se declara a reencarnação do Buda, torna-se uma figura religiosa reverenciada no mundo inteiro. Caberá, no entanto, a Teddy Ottinger, engenheira e aviadora, ateísta e bissexual confessa, famosa pela publicação de um único best-seller e em vertiginosa decadência financeira, descobrir e revelar ao mundo quais as verdadeiras intenções de Kalki e seus Mestres Perfeitos, tornando-se ela mesma um Mestre Perfeito. Em 'Kalki', Vidal não perdoa as comunidades religiosas e centra suas baterias nas apregoadas utopias de fim de milênio. Não poupando ironias acerbas lançadas às filosofias orientais e até à atualíssima cientologia, Gore Vidal preparou para o leitor um fim de mundo inesperado e cruel.
            Arrisco-me a dizer que essa é a historia mais inteligente e possível com a temática fim do mundo, não que as outras sejam, mas os filmes sobre fim do mundo ficam muito surreais e superficiais além de sempre ter uma mulher que fica se metendo em encrenca e o cara tem que ficar correndo pra salvar ela e o mundo ao mesmo tempo.
            Kalki é diferente mostra o pondo de vista de quem esta diretamente ligado ao esquema de fim do mundo arquitetado pelo ex-soldado americano. Apesar de ser um livro escrito nos anos 70 sua linguagem é bem simples apesar de ter algumas palavras que não são tão usadas hoje em dia, com narrativa simples e clara o romance te prende do começo ao fim e ainda deixa um gosto de quero mais quando a trama vai se desenrolando. Em diversos momentos surge a duvida de se J. J. Kelly é ou não a ultima reencarnação do deus hindu.

            Em diversos momentos da leitura eu esquecia que se tratava de um livro escrito nos anos 70 e que era uma ficção, pois as teorias que surgem a respeito do homem que se diz ser a reencarnação de Buda são totalmente reais. E quando o autor da as explicações finais de como tudo foi possível eu acreditei mais ainda que esse fim do mundo é totalmente real e possível. 

8 comentários:

  1. Olá,
    um livro que se baseia nos anos 70 bem diferente essa historia né, achei super legal o tema dele, ainda mas que fala sobre o fim do mundo, já ouvir fala tanto nisso que eu desacredito nisso, achei super legal o livro!

    ResponderExcluir
  2. Olá...
    Ainda não conhecia esse livro... Apesar de não curtir muito leituras com essa temática de fim do mundo, esta livro parece ser bastante inteligente e surpreendente... Talvez em algum momento eu dê uma chance a essa leitura... Adorei sua resenha...
    Abraços...

    ResponderExcluir
  3. Mesmo com toda a sua empolgação sobre a temática e desenvolvimento do livro não é um tipo de gênero que eu leria e tivesse menor interesse de ler, Acho que em parte pela capa, em parte pela temática mesmo, esse eu achei meio sem graça. porém a resenha está muito boa!

    ResponderExcluir
  4. Olá.
    Ótima resenha.
    Não conhecia o livro, mas achei a premissa bem interessante. Talvez, um dia desses, eu confira essa leitura.
    Dica anotada.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  5. Não conhecia o livro e confesso que num primeiro momento não me interessou, mas ao ver o nome Gore Vidal isso mudou. Tenho um livro do autor e que só não li ainda porque... sei lá por que, mas a premissa dele é tão interessante quanto a desse.
    Concordo com isso de ter mulher se metendo em encrenca enquanto o homem precisa salvar a mulher e o mundo nessas teorias de fim de mundo, masssssssss acho que na vida real isso seria bem diferente.

    Duas Leitoras - no Top Comentarista de Abril você pode escolher entre 4 livros!

    ResponderExcluir
  6. Eu não conhecia esse livro, e o fato dele abordar o fim do mundo de uma forma diferente do que estamos acostumados a ver hoje em dia, já um bom motivo para ler o livro. E você tem razão. As histórias que trabalham em cima desse tema acabam sendo surreais e sempre do mesmo jeito.
    Beijos
    Quanto Mais Livros Melhor

    ResponderExcluir
  7. Joyce!
    Gosto muito dos ensinamentos budistas e ver um livro escrito em cima de uma conspiração para o fim de mundo é bem intrigante ao ser misturado com a doutrina.
    Não conhecia e fiquei com muita vontade de apreciar a leitura.
    “Preferi sempre a loucura das paixões à sabedoria da indiferença.” (Anatole France)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP COMENTARISTA ABRIL especial de aniversário, serão 6 ganhadores, não fique de fora!

    ResponderExcluir
  8. Olá, sua resenha está ótima e atiçou um pouco a minha curiosidade, porém, não é o tipo que costumo e gosto de ler. Abraços.

    ResponderExcluir