10 de nov de 2015

Entrevista - Renata Dias (O quarto do sonho)

Olá meus leitores lindos, cá estou eu de volta, e dessa vez trazendo uma entrevista com a queridíssima Renata Dias, autora do livro O Quarto do Sonho (Que inclusive tem resenha aqui no blog). Clique aqui para conferir.


De Leitora apaixonada por fantasia e ficção à escritora...
Tipicamente taurina, nascida em Salvador em maio de 1978, é casada e vive na incessante busca da felicidade.
Fascinada pela madrugada, atualmente se divide entre o frisson da badalada vida de DJ, profissão que exerce desde 2007, e a necessidade de introspecção para se entregar ao desenvolvimento de seus romances.
Gosta de multidão, de barulho e de silêncio.
O Quarto do Sonho é o primeiro de uma série em que outros dois livros já estão escritos.Este é só o começo!
"...E quando me perguntarem o que eu faço da vida, vou responder:
- Sou DJ e escritora de romances.. Com muito prazer... Renata Dias!"

 
Entrevista: 
1. De onde você buscou inspiração para criar o Doutor Gabriel?
R: Na verdade meu gancho foi tentar embutir alguns contos em narrativas de várias mulheres, já que vinha escrevendo-os ao longo dos anos e para essa abordagem funcionar, o diálogo teria que ser sempre estimulado por um homem, um ouvinte paciente. O doutor nasceu daí e terminou mudando o rumo do enredo a cada página que escrevia. Terminei nem usando os arquivos antigos que me incentivaram a dar vida ao Gabe... 
2. Além de o personagem Gabriel ter uma relação nada convencional com sua namorada, ele ainda trata de mulheres e casais com dilemas em seus relacionamentos que são bem comuns na sociedade atual. Apesar de se tratar de um livro de ficção os temas foram colocados propositalmente?
R: Foram colocados sim! Outro dia estava conversando com uma das parceiras de um blog literário e ela comentou que conseguia se enquadrar em vários personagens ao mesmo tempo. Brinquei dizendo que já que existe “ficção científica”, eu estava querendo intitular um gênero novo como “ficção cotidiana”. Tenho sempre a intenção de induzir o leitor que se coloque dentro da estória e se sinta parte do conteúdo. Que se identifique com a trama e que compreenda que somos nós que criamos rótulos e impossibilidades. Quero fazê-los se questionar e pensar um pouquinho independente do conteúdo erótico. 
3. O quarto do sonho tem uma escrita bem detalhada, e isso inclui as várias cenas calientes contadas com riquezas de informação. Você não ficou apreensiva com relação ao  público leitor talvez taxar esse detalhamento todo como algo vulgar? Mediante a complexidade do relacionamento do casal?
R: Cada leitor vai ter uma interpretação sobre o conteúdo e eu não posso fazer nada quanto a isso até porque, momento algum eu tentei mascarar o gênero. Denomino como "hot", "Soft Porn", "erótico", "para maiores", "sem entrelinhas", em praticamente todas as minhas publicações, inclusive na contracapa.  Lê quem quer e sem ser enganado!! Não sejamos hipócritas... As pessoas assistem novelas e seriados tão, ou mais, explícitos quanto, em TV aberta.
Sinceramente, não considerei vulgar e na minha opinião esse tipo de padrão fica implícito em comportamentos e não em devaneios.Momento algum me cobrei refrear as cenas de sexo porque acredito mesmo que muita gente tem vontade de experimentar situações como aquelas e não se permite por achar proibido. Erotismo não é sinônimo de pornografia e não generalizando, esse ímpeto de julgar ficou entranhado na sociedade muito provavelmente pela criação e religião, incorporando o estigma de “certo e errado”. Não cabe a mim desnudar o inconsciente coletivo e nem tenho esse poder, mas eu posso tirar a venda e fazê-los tentar enxergar a relação a dois como algo instintivo e visceral. Quando falamos naturalmente sobre sexo podemos enxergar que o assunto existe desde que o mundo é mundo, sabe Deus lá quando mil anos A.C.. Pelo que venho estudando para adquirir mais conhecimento em torno da questão, lhe garanto que as fantasias criadas para os personagens são “fichinha” perto do que rolava, por exemplo, na Roma antiga...
Por incrível que pareça, o que me deixou mais apreensiva foi ter a consciência de que algumas pessoas não compreenderiam a diferença entre paixão e amor, questionando as escolhas do Gabriel. 

 4. Particularmente amei todo o contexto da história. E pra você é possível definir um trecho ou uma fala como sendo a sua preferida?

 R: Tenho muitas, mas uma que que na minha opinião, desnuda a personalidade e vulnerabilidade do Gabriel, dando o tom do decorrer da trama geral, é: “Gabe, vou te falar coisas que me dão prazer, mas só se você me prometer que vai falar também. Não consigo aceitar um homem lindo como você ser tão tímido e compenetrado. Me deixa aflita ver a sua tentativa frustrada de demonstrar autocontrole.”

 5. O quarto do conto que você já inicia no finalzinho do quarto do sonho, dará continuidade na história dos personagens, além do Gabriel e sua irmã Lara? Ou será uma nova história sem continuação partindo do pressuposto de que o foco será o segredo que Lara guarda?
 

R: É uma nova história que começa após o retorno do Gabriel e ele fará parte do conteúdo por que ainda precisa existir o “acerto de contas” entre eles, mas o foco é 100% na Lara.
E aí meus leitores? O que acharam? Espero que tenham costado tanto quanto eu, e para entender mais leiam o livro e leiam a resenha aqui no blog, até a próxima.
 

4 comentários:

  1. Essa entrevista foi muito boa, pois pude conhecer mais de perto processo em que autora passou para escrever o livro, de onde ela tirou inspiração, e isso para mim e tão importante, para mim e como se eu estivesse tendo acesso aos bastidores.

    ResponderExcluir
  2. Gostei de conhecer mais sobre a criação de personagens e o livro. Não me interessou o livro pois não gosto de livros do gênero, mas para quem gosta parece ser muito bom.

    ResponderExcluir
  3. Adoro essas entrevists e tao lefal saber como foina criacao de um livro como o autor se inspira ne ^^ amei parabens

    http://estilodenerd42.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Oi Jocy :) Eu já conhecia o livro, mas nem tanto a autora e adorei conhecer mais um pouquinho dela, e consequentemente, do livro! Eu não li nada sobre o livro, então vou ir ler a resenha sugerida no post para ter uma ideia melhor, mas pelo que eu já vi creio que irei gostar bastante do livro! Beijos

    ResponderExcluir