9 de mar de 2017

O Poder do Sempre - Por Marcos A. Júnior

É comum ouvir casais de namorados proferir declarações amorosas com a variável tempo sendo utilizada em seu limiar mais alto, o inexplicável sempre. Para pessoas com um pouco mais de experiência, tais afirmativas não afetam tanto, caso a tal eternidade acabe na primeira noite, no primeiro gole, na primeira dificuldade. Nos jovens, efusivos no desejo de definir a posteridade pelo momento atual, as consequências são arrasadoras. Para começo de história, devemos definir quanto tempo está relacionado a essa tal eternidade tão comentada. Quantas eternidades nós vivemos? Uma? Duas? Dez? Não sabemos. É notável, e imprescindível, informar que tais mentes, tão imaturas quanto aos sentimentos, tendem a sofrer ainda mais quando a tal eternidade acaba. Resumindo, todo sempre, sempre acaba. É aceitável, até louvável, render-se à magnitude de tal envolvimento.
Quem nunca disse um “eu te amo” para a pessoa errada? Na verdade, as pessoas erradas não existem. As pessoas são sempre certas. Os momentos são sempre infinitos. Porém, o SEMPRE não é tão usual quando o assuntos são os pensamentos e as ações. Nossas mentes evoluem, sempre. Com essas evoluções, divergências de ideais ocorrem. O tempo de evolução é diferente para cada indivíduo, respeitando a máxima básica da evolução humana: Indivíduos nascem, crescem, reproduzem e morrem. Não há como fugir dessa regra, exceto a parte da reprodução. A felicidade dos momentos bons influenciam a trocar comentários realistas como “Queria viver esse momento pelo resto da minha vida” pela terrível, apesar de incrível, promessa: “Vou te amar para sempre”. Eis uma questão reflexiva para todos: Quantos sempre você já viveu? O sempre, tão utilizado nessas promessas, não passa de um período de tempo indefinido, delimitado pelos fins de relacionamentos. Então, o uso, ou desuso, dele pode gerar muitos traumas em mentes fragilizadas. Nesses tempos, os traumas estão marcando presença assídua nas mentes da maioria esmagadora.
 Os “para sempre” não são esquecidos com a mesma facilidade com que são ditos. Uma vez traumatizado, se não curado por um outro “sempre” mais intenso, as pessoas tendem, cada vez mais, a desprezar tais sentimentos tão nobres. 
Diferente do que os filmes de Hollywood mostram com cenas empolgantes e “sempres” que não passam de fantasias e duram apenas duas horas, afinal, é um filme, uma estória irreal, as legítimas eternidades ficam verdadeiramente marcadas nos olhos, não nas declarações. Já diz o velho ditado: “Amar no bom é fácil. Quero ver é amar no ruim”. A vida a dois é muito mais complicada que o que é relatado em tais produções cinematográficas. Em relacionamentos afetivos, quanto menor o tempo de um sempre, melhor. Ame o sempre de hoje. Depois, o sempre de amanhã. Com o passar dos “sempres”, um magnífico e eterno sempre irá brotar em sua vida. Por isso, resta uma única pergunta: Você já amou pelo sempre de hoje?

31 comentários:

  1. Marcos!
    Como dizia o poetinha: "que seja eterno enquanto dure".
    Sempre é um tempo muito longo para tudo, principalmente em uma sociedade como a nossa onde tudo é muito volátil, muda com a rapidez de um raio e o que pensamos agora, amanhã já podemos ter mudado.
    Discordo apenas "Em relacionamentos afetivos, quanto menor o tempo de um sempre, melhor. " Acredito que com o tempo, aprendemos a nos moldar aos relacionamentos e até mudar nossos pontos de vista e ações para tornarmos nosso relacionamento para 'sempre'. Meu para sempre já dura 17 anos e espero que seja até o final de nossas existências...
    “Ninguém nasce mulher: torna-se mulher.” (Simone de Beauvoir)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de MARÇO, livros + KIT DE PAPELARIA e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  2. Essa frase sempre me encantou: o pra sempre sempre acaba. É ruim de pensar mas não quando se pensa como você falou, em viver o pra sempre do hoje. Temos que conhecer as pessoas antes de proferirmos tal palavra pois pode ser interpretada de forma errônea visto que nem todos entendem e magoar muitos corações! :(
    No meu caso, quando eu ouço um "pra sempre", seja do meu irmão de 9 anos falando que eu vou viver pra sempre ou do meu namorado dizendo que quer estar comigo pra sempre, não fico triste e nem crio expectativas, pelo contrário, morro de felicidade por saber que naquele momento eles me querem tanto por perto e isso, basta!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Luíza,

      é. O sempre é muito variável.
      É uma questão de escolhas, acreditar ou não, criar expectativas ou não.
      O melhor, em todos os casos, é viver o sempre diário.
      Afinal, o sempre total é a soma dos sempres de cada dia.

      Obrigado pelo comentário!

      Excluir
  3. Oi Lucas, assim que terminei de ler o texto me veio a mente um trecho de uma música que me lembro ter ouvido na voz de Cássia Eller " Que o pra sempre sempre acaba", é não poderia haver mais verdade nessa frase. Há muitos sempre, dentro de um pra sempre e acho que teu texto conclui exatamente isso e só posso dizer que concordo. É difícil não nos encantarmos com os "... e viveram felizes para sempre" dos livros ou dos filmes, mas é importante que saibamos que essa condição não vem sem complicações e talvez nem exista.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Lili,

      quem fala aqui é Marcos, autor deste texto.
      Primeiramente, gostaria de agradecer o comentário e dizer que, enquanto eu o escrevia, também escutava esta mesma música.
      Concordo em gênero, número e grau com você quando toca na frase "Que o pra sempre, sempre acaba".
      Você conseguiu pegar o objetivo central do texto: Vivemos de vários "sempres" que, somados, formam um único sempre.
      Obrigado novamente.

      Excluir
    2. Oi Marcos, me confundi pensei que era Lucas rsrsr (foi mal). O texto tá ótimo. :D

      Excluir
    3. Olá,

      sem problemas!
      Obrigado pelo elogio.
      =D

      Excluir
  4. Oi, Marcos.

    Que incrível, cara! Estou surpreso pela riqueza de palavras utilizadas por você e pela facilidade em engajá-las de forma a deixar o texto com esse ar poético. Parabéns! Não deixe nunca de escrever, provavelmente já lhe disseram isso, mas repito: você tem talento!

    E o sempre é essa variável mesmo. O sempre de hoje, ainda não amei, mas eu ainda tenho algumas horas para eternizar esse dia. ❤

    Abs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá,

      primeiramente, gostaria de agradecer veementemente pelos elogios.
      Fico muito feliz em ler tais congratulações.
      Por mais que as pessoas já tenham falado, sim, algumas já falaram, cada nova pessoa que elogia tem a sua propriedade em falar e eu escuto/leio de maneiras diferentes.
      Novamente, obrigado .

      Já que não amou pelo sempre de hoje, ame dobrado no sempre de amanhã, só não acumule demais. Ame livremente, mesmo sem especificidades.

      Abraço.

      Excluir
  5. Oi Marcos.
    Que lindo!
    Hoje vemos cada vez menos relacionamentos que durem um tempo mais ou que valem a pena tentar, parece que com o passar do tempo, encontrar o amor verdeiro ou a pessoa certa deixa de ser uma prioridade, claro como você falou a pessoa certa não existe a apenas momentos oportunos, mas enfim seu texto me fez refletir sobre minha vida e um pouco de tudo que está acontecendo.
    Adorei.
    Bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Marlene,
      obrigado pelo elogio.
      Sim. As coisas estão diferentes agora.
      Não sou tão velho, mas sinto as diferenças.
      Já vivo a quase três décadas e to assistindo a prostituição do amor.
      Por ser escritor, trabalhar tanto com sentimentos e pensamentos, fica um pouco de revolta.
      Pena! Não posso viver pelos outros.
      Apesar de as minorias serem importantes, a maioria afeta mais e isso nunca vai mudar.
      O que temos a fazer é não deixar de amar, pelos mesmos motivos que essa geração está deixando.
      O amor tem que ser até o fim, sempre.
      Obrigado pelo comentário.
      Beijo

      Excluir
  6. Olá!!
    Adorei esse texto, a forma que utilizou para falar de algo que muitas vezes parece banal e passa desapercebido no dia-dia. Porém, quando nos deparamos com um texto tão real é que paramos para pensar em quantas vezes dizemos ou ouvimos o "para sempre" sem mesmo ser verdade.
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Naime!
      obrigado pelo elogio.
      Concordo com você quando diz que as coisas, incluindo os sentimentos, estão mais banalizados a cada dia.
      Isso é triste, mas é a realidade da maioria.
      Fico feliz em ser uma exceção.
      Espero continuar PARA SEMPRE assim.

      Beijo

      Excluir
  7. Belas palavras, transmitiu muito bem certos sentimentos que possuímos.
    O nosso desejo é sempre o "felizes para sempre", mas durante esse percurso passamos por muitas coisas não é mesmo!?
    E acaba que o sempre, sempre termina! E muitas palavras são esquecidas.
    Achei tudo bem profundo e foi bem proveitoso para mim ler sobre o assunto.
    Beijos,
    Caroline Garcia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Caroline Garcia,

      muito obrigado pelo elogio.
      E sim, o sempre, sempre acaba. Afinal, a vida não é eterna, é?
      Agradeço pelo comentário e fico feliz por ter sido proveitoso para você.
      Beijos.

      Excluir
  8. Olá, parabéns pelo belíssimo texto, agora temos um novo significado para o "sempre", que se torna o hoje, independente do contexto. Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Alison,

      não procuremos significados.
      Vivamos cada momento como se fosse o último, pois realmente podem ser.
      Obrigado pelo elogio e pelo comentário.

      Excluir
  9. Oi Marcos, tudo bem?
    Não é todo mundo que consegue prender minha atenção como você fez com esse texto. Eu vejo muito disso hoje em dia. Parece as promessas dos "sempres" estão sendo feita com maior frequência dia após dia, e as desilusões decorrentes deles também.
    Não tenho nem o que falar do seu texto porque você já disse tudo!
    Beijos
    [SORTEIO]Baile Literário
    Quanto Mais Livros Melhor

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Priscila, tudo bem sim.
      E você, como está?
      Fico lisonjeado por conseguir prender a sua atenção.
      Muito obrigado pelos elogios.
      Fiquei muito feliz pelo sempre de hoje.
      Beijo.

      Excluir
  10. Adorei o texto! De fato, é "tão fácil" amar quando tudo está bem, né? O problema é quando começam a surgir as dificuldades... é aí que o pra sempre vai pelo ralo.
    Acredito que pessoas erradas existem, sim, mas no momento em que estamos com elas elas não são. Talvez o momento seja errado, não sei...
    Isso de sentimento é uma coisa complicada, mas mesmo com tantas decepções e finais eu não pretendo menosprezar algo tão bonito e que eu sei que é real.

    Duas Leitoras - no Top Comentarista de Março você pode escolher entre 4 livros!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelo comentário e pelo elogio, Kemmy.
      Sentir é viver.
      Também compactuo do seu pensamento.
      Posso sofrer, posso chorar, mas parar de sentir não está entre as opções de "salvação".

      Excluir
  11. Eu adorei o texto, uma ótima reflexão, porém, essa frase: Os “para sempre” não são esquecidos com a mesma facilidade com que são ditos." me trás um contraponto, afinal quem diz realmente esquece, mas quem ouve pode as vezes guardar aquela frase por muito tempo como uma obsessão. hihih, então essa frase depende do ponto de vista de quem a profere! Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Adriana,

      obrigado pelo elogio.
      O ponto de vista que quis abordar foi exatamente esse.
      Quem diz, diz livremente, sem importar-se com as consequências.
      Quem escuta, não esquece tão facilmente.

      Obrigado pelo comentário!

      Excluir
  12. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  13. Oi Marcos!
    Seus textos são sempre geniais e nos provocam grandes reflexões.
    Nem sempre é fácil para quem ouve um 'pra sempre' lidar com o fim, nada é pra sempre, mesmo quando queremos muito, tudo tem um fim, mesmo quando queremos que se eternize aquele dia ou aquele amor. Nós estamos em constante transformação, isso inclui sentimento e anseios, tomamos com frequência outros rumos, não apenas em relacionamentos mas em tudo na vida, isso não quer dizer que sentimos verdadeiro não existiram um dia, que não se desejou que aquele momento não chegasse ao fim. O viveram felizes para sempre das estórias cinematográficas não existe, na vida real existe apenas o viveram.
    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Jacqueline!

      Primeiramente, fico grato pelos elogios.

      Sim, o amor existe e sempre irá existir.
      As pessoas precisam identificar que as falhas são sempre pessoais e não do próprio sentimento.
      Os fins são necessários, por mais dolorosos que sejam.

      Muito obrigado pelo seu comentário.
      Abraço

      Excluir
  14. Por favor, nunca pare de escrever, adoro o jeito como você usa as palavras e como faz para conseguir despertar esse momento de reflexão em nós, afinal, quanto tempo dura um para sempre? Tenho certeza que todos já nos decepcionamos em ouvir um para sempre que não foi para sempre, mas como você disse, acho que quanto menor o espaço de tempo de um para sempre, melhor.
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Giulianna,

      primeiramente, obrigado pelos elogios.
      Fico muito feliz em ouvir tais palavras.
      Vou tentar atender os seus pedidos.
      Sempre após sempre.
      Obrigado pelo comentário.
      É muito importante ter você por aqui.
      Beijo.

      Excluir
  15. Adorei o texto!!! Mas vale tentar a amar do que nunca tentar!! Lindas palavras e sem dúvida é um texto bem reflexivo que nos faz para pensar no agora!! E como é importante amar!!
    Beijoss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Marta.
      Obrigado pelo elogio.
      Sim. É importante amar, mesmo que não haja alguém em específico para ser "objeto" de nosso sentimento.
      Amor à liberdade também é amor.
      Obrigado pelo comentário.
      Beijo.

      Excluir