26 de jan de 2017

Resenha: Navegue a Lágrima

Olá leitores,
E a primeira leitura do ano já esta concluída.

Bom como os leitores fiéis do blog já viram eu fiz uma lista de livros que “obrigatoriamente” eu tenho que ler esse ano – isso não significa que eu não lerei outros livros que forem aparecendo e despertando o meu interesse ao longo do ano. O primeiro livro meta de janeiro era Navegue a Lagrima da autora brasileira Letícia Wierzchowski, publicado em 2015 pela editora Intrínseca.
"Tudo, porem, tem o seu começo, tudo mesmo. E essa curiosa interseção entre nossas vidas começou um dia num entardecer primaveril"

Sinopse: Uma casa de praia, num idílico balneário no Uruguai, é o cenário de duas histórias de amor e perdas, separadas no tempo. Consumida pelo luto, a editora Heloísa escolhe se afastar da cidade onde morava e levar uma vida de isolamento na residência de veraneio que pertenceu à Laura Berman, uma escritora consagrada. Entre muitos drinques, cercada de pertences e memórias dos antigos moradores, Heloísa começa a ser visitada pelas lembranças guardadas entre aquelas quatro paredes: a correria de crianças, dias de sol preguiçosamente passados à beira da piscina, o romance terno de Laura e seu marido Leon. Se é delírio ou magia, a nova moradora não consegue distinguir. Aos poucos, enquanto revira baús, ela mergulha no universo conflituoso da escritora, descobre pequenas traições cotidianas e o inexorável desgaste realizado pela passagem do tempo nas relações mais sólidas. Essa compreensão permite que, lentamente, Heloísa consiga enfrentar seus próprios fantasmas e desvelar a história de uma grande paixão.

"Desde que eu vivo aqui sozinha, o passado vem me visitar como uma especie de curiosa novela em capítulos"

Em todas as resenhas que faço aqui pra o blog tento ser o mais sincera possível afinal não quero agradar editoras e desapontar os leitores aqui do blog e com essa leitura não será diferente.
Ai vai um alerta este livro é triste, então escolha o momento certo para ler, eu estava em uma época tão agitada que sua influência emocional sobre mim não foi “devastadora”. Eu jamais tinha visto livro como esse ele é diferente em vários sentidos. Seu enredo é diferente e surpreendente eu esperava um romance água com açúcar, mas na verdade se trata de uma trama emocional que passa por vários estados de espírito de pessoas reais.
Mais do que contar a historia esse livro deixa bem claro as emoções que os envolvidos na trama estão sentindo naquele momento. E ver como cada personagem se reergue e voltam a ter paixão pela vida é muito lindo e até um pouco gratificante eu terminei de ler e ainda fiquei sorrindo com o fim do livro, eu senti o que a narradora descrevia no ultimo capitulo do livro.

"Não sei o que falaram. Depois de alguns momentos, eles se abraçaram longamente. Eram como a massa de água do mar fluindo no ritmo das marés."

E sem falar de sua formatação que é bem diferente do comum. 




18 comentários:

  1. Oi Joyce, ainda não conhecia o livro mas achei a sinopse interessante e pela resenha deu pra ver que é um livro bem emotivo, então eu não poderia concordar mais contigo sobre a escolha do momento certo pra lê-lo, não leio livros que me levam as lágrimas com frequência pois tenho que estar preparada emocionalmente. Gostei muito da dica e vou anotá-la ;)

    ResponderExcluir
  2. Oi, Joyce!!
    Gostei muito da resenha. Percebi que esse livro é bem interessante!! Não o conhecia mais a história é bem instigante. Adorei a indicação.
    Beijoss

    ResponderExcluir
  3. Joyce,assim como você também não li nenhum livro assim e pela sinopse também imaginava um romance mais água com açucar...Mas que bom que,apesar de não ser o que você imaginava,o livro ainda foi bom,a ponto de você terminar com um sorriso nos lábios ao final da leitura...Não sei se faz muito meu estilo de leitura,esse tipo de trama que envolva o crescimento pessoal da personagem principal...mas achei interessante a forma com que a autora faz isso acontecer,pelas lembranças de uma mulher que teve uma família ali naquela casa...Enfim,que bom que você decide ser honesta sobre as resenhas que faz,isso,antes mesmo de saber se expressar/escrever bem,é o principal em um resenhista!
    Bjsss

    ResponderExcluir
  4. Pude sentir mesmo a sua sinceridade. Eu gosto muito de ver blogs assim, que passam a informação pra a gente do que realmente eles acharam do livro sem dizer o contrário para agradar.
    Eu fiquei bem curiosa pelo livro porque gosto de histórias bem emocionantes mesmo. Espero ler um dia.

    ResponderExcluir
  5. Realmente parece ser bem diferente dos livros que a gente está acostumado, ne?! Não me lembro de ter lido algo assim, tão cru nos seus sentimentos e emoções. Gostei bastante dessa parte e parece una leitura bem cheia de conhecimento.

    ResponderExcluir
  6. Joyce!
    Bom ler um livro que mexe com nosso emocional e nos faz sentir todo envolvimento, tanto com as personagens como pelo próprio enredo.
    Se é triste, deve ter drama e se tem drama deve ser muito bom, além da formatação como falou.
    Fiquei curiosa.
    “O que sabemos, saber que o sabemos. Aquilo que não sabemos, saber que não o sabemos: eis o verdadeiro saber.” (Confúcio)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de JANEIRO dos nacionais, livros + BRINDES e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  7. Senti falta da resenha dar alguns detalhes sobre a trama ou os personagens... Não consegui sentir interesse apesar de achar interessante a sinopse

    ResponderExcluir
  8. Eu conhecia esse livro meio por cima, li a sinopse dele esses dias quando me ofereceram para troca, mas acabei não fazendo porque achei a sinopse um pouco "água com açucar" não achei que tinha esse envolvimento todo com sentimentos, porque adoro livro que mexe com nosso emocional. Mas quem sabe outra oportunidade de leitura surge.
    Ótima resenha.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Ultimamente tenho lido muitos livros emocionantes, e por isso resolvi dar um tempo nesse tipo de leitura, mas ainda sim essa trama me chamou bastante atenção, a história me pareceu ser bem construída, e envolve o leitor do começo ao fim. Ainda não conhecia esse livro, e me surpreendi com essa leitura.

    ResponderExcluir
  10. Olá, pode parecer estranho mas eu ADORO livros tristes, pois é mais fácil se apegar aos personagens e literalmente sentir as emoções dos mesmos. Beijos.

    ResponderExcluir
  11. Oi Joyce...
    Gostei da formatação do livro e apesar de ser uma história triste, fiquei bem curiosa para lê-lo, pois dramas sempre trazem pra nós lições para levarmos para toda a vida... Vou tentar escolher um momento propício para ler esse livro...
    Beijinhos...

    ResponderExcluir
  12. Não me importo com livros tristes, eles nos fazem pensar tanto na vida até mais que os felizes. A diagramação deste livro, pelo que vi na foto, é realmente diferente, mas é bonita. Gostei da resenha e dica.
    Abraço!
    A Arte de Escrever

    ResponderExcluir
  13. Olá Joyce!
    Eu já tinha lido a sinopse desse livro e também pensei se tratar de um romance água com açúcar. Fiquei surpresa em saber que a trama é um drama emocional, mas achei a premissa bastante interessante, principalmente porque gosto de histórias onde os personagens se reerguem ao longo da trama. Apartamento, essa é uma característica da escrita da autora, ao menos vi isso em dois outros livros que li da Leticia. Beijinhos!

    ResponderExcluir
  14. Apesar de ser triste, o que vi deixar a gente um tanto triste, eu fiquei com vontade de ler. Eu gosto muito de histórias profundas e bem reflexivas.
    Já adicionei na minha lista de futuras leituras.

    ResponderExcluir
  15. Olá! Realmente parece ser algo bem diferente, gostei muito da sinopse, me fez viajar um pouco e ao ler a resenha, fiquei com mais vontade de ler esse livro!

    ResponderExcluir
  16. Não gosto de livro que são muito carregados, me envolvo demais nas leituras e fico muito mal. Mas não entendi bem, o final dele é bom?

    ResponderExcluir
  17. Oi!
    Ainda não tinha lido uma resenha desse livro, mas vi que não é o tipo de livro que gosto de ler, realmente parece ser mesmo uma historia bem triste e com uma carga emocional muito grande, o que para mim não funciona muito bem !!

    ResponderExcluir
  18. Joyce, é o primeiro contato que tenho com o livro, e posso dizer que ele parece ser bem triste mesmo, pela sinopse e a resenha. Gosto muito de livros assim, que tocam a alma do leitor, e esse parece ser um assim.

    ResponderExcluir