10 de dez de 2015

Resenha - A Metamorfose

Olá leitores! Tudo bem com vocês?  Dei uma sumida aqui do blog, devido a correria de fim de ano, mas enfim, estou aqui hoje para trazer a resenha de um clássico, na minha opinião, um dos mais perturbadores da literatura mundial. Creio eu, que todos aqui já ouviram falar do livro "A metamorfose" do incrível Franz Kafka, mas vamos lá?

O livro já começa pelo que seria, o ápice da história: Gregor, o personagem central da história, acorda e se vê transformado em um inseto, que pela descrição podemos dizer que é uma barata ou besouro gigante. O que me intrigou não foi a transformação, mas a forma com que o autor lidou com ela, ele fez questão que o personagem não procurasse descobrir o motivo da metamorfose e acabou retratando toda a situação de Gregor, de uma maneira tão objetiva que parece que estamos vendo uma pessoa sofrer de resfriado ou algo assim.
Não existe em nenhum momento aquela reação que se é esperada de uma pessoa que sofre de uma terrível transformação física, o que se vê aqui é somente a constatação de que Gregor não poderá naquele dia cumprir o ritual diário de sua vida: acordar cedo, pegar o trem e prosseguir com a sua profissão de caixeiro-viajante. Toda a situação é vista como um obstáculo que impossibilita Gregor de seguir sua vida imediata, cotidiana.
Mas com o prolongamento da situação, suas preocupações mudam: ele sofre pelo distanciamento dos seus pais, pela repugnância de sua mãe e irmã, por ficar confinado a um único aposento, aposento este onde ele aprende a se divertir subindo pelas paredes (tinha que ter um lado bom né? Haahha)
O interessante na leitura é perceber como a metamorfose física de Gregor causou uma metamorfose comportamental na família. Kafka não faz qualquer tentativa de amenizar a crueldade humana. Ele jamais escondeu que havia muito carinho da família por Gregor, mas também não ocultou como a mudança de seu corpo para de um inseto alterou totalmente a forma como eles lhe encaravam, apesar do próprio Gregor nunca se ver como um animal.
Parece que o que ele realmente pretendia ao escrever o livro, era fazer o leitor se dar conta de que de uma hora para outra, todos os conceitos e todas as certezas que temos podem mudar, sem mais nem menos; é como se Kafka nos encarasse e desse um tapa na nossa cara, como quem diz: acorde para a vida ou as coisas podem mudar e você pode se ver indefeso.
Esse livro funciona como uma espécie de espelho para inúmeras situações que presenciamos em nosso cotidiano, como pais que abandonam seus filhos quando descobrem alguma doença ou deficiência, como filhos que resolvem colocar os pais em asilos, porque estes dão  muito trabalho e já não ajudam . A questão é a seguinte: como você pode simplesmente desprezar alguém que te ajudou a vida inteira porque tal pessoa não corresponde mais as suas expectativas, e como se sentiria essa pessoa? Se você pensou em um inseto, então estamos na mesma conversa.
A leitura é simples e rápida (não chega a 80 páginas de texto), a história é um tanto perturbadora e só de lembrar algumas partes me passa um arrepio de nojo (odeio baratas. Sério!) e o final foi completamente surpreendente. Eu nunca esperava que acontecesse o que aconteceu... Enfim, recomendo, seja para refletir um pouco ou apenas pelo prazer de conhecer esse clássico.

Espero que tenham gostado!


Beijos e até a próxima ^^

10 comentários:

  1. Oi, Bia. A Metamorfose torna-se perturbador para mim já com estes insetos estranhos na capa. Mas, a percepção dos personagens que se passa para nós criada por Franz Kafka é bem mais perturbadora. O autor consegue arrancar os mínimos detalhes de sua própria obra e fazer com que todos entendam a sua mensagem, a repugnância na visão de outros sobre o inseto e todo o "lucro" ou desvantagem das situações.
    Blog: Consumidor de Sonhos | consumidordesonhos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Ooooi! Nossa, que enredo diferente, não é? Eu nunca tinha ouvido falar, sim, nunca mesmo. Vendo a capa eu imaginei um enredo totalmente diferente do descrito na sua resenha, mas foi uma surpresa muito legal, pois o livro tem uma crítica massa, né? Porém, creio que quem o lê e não se deixar envolver, não vai entender a mensagem do livro e o porquê da ideia dele. Muito boa a sua resenha, viu? Tá de parabéns! Senti falta de alguns quotes para ter noção de como que é, mas nada como uma resenha direta e sincera.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Nunca tinha ouvido falar desse livro, 90% do tempo tenho preguiça de ler os clássicos, então nem fico muito interessada. Mas esse despertou minha curiosidade, o livro parece ser uma grande metáfora sobre o cotidiano das pessoas e um grande tapa na cara de todos, acho que vou colocar ele na minha lista de desejados. :)

    ResponderExcluir
  4. Esse não é o timo de livro que eu me apaixonaria pela capa hahaha Mas a história parece ser realmente incrível, é uma grande lição de vida e como disse um tapa na cara de certas pessoas, foi por isso que ele me cativou, um livro pode ser muito mais que uma capa bonita, e é o caso desse livro!

    ResponderExcluir
  5. Se acredita que li esse com 14 anos e achei muito chato kkkk preciso arrumar um exemplar pra ler de novo

    http://estilodenerd42.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Eu particularmente achei o livro muito chato. Nada me agradou hahaha. É tenho pavor de baratas e insetos em geral.

    ResponderExcluir
  7. So li metade da resenha, porque eu tenho que ler para o curso até sexta. Ó vida.

    ResponderExcluir
  8. Oi Bia, tudo bom?
    Este livro está para minha lista de leitura de clássicos, adorei a reflexão que você fez da trama.
    Como assim, um pessoa acorda sendo um inseto e não quer saber o porque acordou assim?
    Agora sim, você me deixou bem curiosa para conferir a história.
    Bjux ;)
    http://entrelinhasalways.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Ainda não conhecia o livro e fiquei interessada. O faro de o autor representar a crueldade humana dessa forma me chamou muito a atenção. Acho que vou gostar muito.

    ResponderExcluir
  10. Confesso que A Metamorfose não despertou a minha atenção. Toda esta história de uma visão por um personagem que se transformou em um inseto me soou mais estranha e imaginária que livros fantasiosos. O que me deixou curioso foi sobre a relação e o comportamento das outras pessoas. Confesso que não leria o livro.

    ResponderExcluir