22 de ago de 2016

Resenha - Admirável Mundo Novo

Olá pessoal! nada como começara a semana com uma leitura nova, não é mesmo? A de hoje mé um romance escrito nos nos 80 por Aldous Huxley e que já teve varis edições publicadas por diferentes editoras.

Sinopse: A Terra agora se divide em dez grandes regiões administrativas. A população de dois bilhões de seres humanos é formada por castas com traços distintivos manipulados pela engenharia genética: nos laboratórios são definidos os poucos dotados, destinados aos rigores do trabalho braçal, e também os que crescem para comandar. Não há espaço para a surpresa, para o imprevisto. O slogan "comunidade, identidade e estabilidade" sustenta a trama do tecido social. Estamos no ano 632 depois de Ford - aquele da linha de produção de automóveis -, quando o amor é proibido e o sexo, estimulado.
Tais ingredientes levaram Admirável Mundo Novo a figurar ao lado e 1984, de George Orwell, como uma das principais obras antiutópicas do século XX, em que um futuro sombrio aguarda a humanidade. David Bradshaw, estudioso de Oxford, veria ainda no livro uma sátira do inglês, refinado e cultíssimo Huxley à crescente influência americana no período entre guerras, que trazia a reboque a cultura de massas e o "american way of life".

Este é, acima de tudo, um romance de ideias, que descreve as formas mais sutis e engenhosas que pode assumir o pesadelo do totalitarismo, e que resiste inexpugnável às interpretações político-ideológicas de esquerda ou direita suscitadas desde seu lançamento. Admirável Mundo Novo levou o escritor e crítico Anthony Burgess a escrever que Aldous Huxley equipou o romance com um cérebro.

“As pessoas mal-adaptadas à sua posição tendem a alimentar pensamentos perigosos sobre o sistema social e a contagiar os outros com seus descontentamentos”.

Quando ganhei esse livro no ensino médio ele não despertou o mínimo interesse em mim, mas quando o professor de filosofia da faculdade o citou em uma aula de filosofia de repente se acendeu a curiosidade e assim dei inicio a leitura. Li tão rápido que não acreditei quando acabei. Uma historia que te faz se envolver com os personagens e ficar um pouco triste com a situação em que eles vivem, pois imaginem viver em um mundo onde não se pode ler, escrever ou se quer conversar sobre coisas totalmente comuns como relacionamentos, amor e tudo a que estamos acostumando? Para mim seria impossível, mas nesse livro é assim tudo o que se pode fazer é ditado e eles são condicionados a viver desse modo sem direto a protestar. Não existe liberdade em admirável mundo novo.


“... não se pode fazer uma tragédia sem instabilidade social”.



14 comentários:

  1. Preciso muito ler esse livro! Principalmente por parecer demonstrar uma realidade que podemos estar fadados a vivenciar...

    ResponderExcluir
  2. Já vi quando estava na escola, mas fui outra que não tive interesse por ele. Vendo aqui agora até achei legal porque sei lá, acho que tenho mais maturidade para ler e apreciar agora. A ideia dele é bem interessante, isso de não ter liberdade. Imagina só que tenso viver assim né? Acho que iria gostar de ler.

    ResponderExcluir
  3. Sou fã de distopias, e mesmo assim ainda não realizei a leitura deste livro, ainda não tenho meu exemplar. Gostei muito da resenha, dos pontos positivos levantados. É difícil mesmo se imaginar vivendo em uma sociedade repressora como a criada no livro. Excelente dica.
    Abraço!
    A Arte de Escrever

    ResponderExcluir
  4. Fiquei com o livro por 1 semana em casa e não tive coragem de ler, não curto muito distopias. Mas não desisti da leitura, quem sabe mais pra frente eu arrisque

    ResponderExcluir
  5. Achei o livro interessante embora no momento não tenho vontade de ler, mais vou dar uma olhada e quem sabe eu compro para ler mais para a frente.

    ResponderExcluir
  6. Esse livro é super indicado por muitos blogueiros e booktubers, mas mesmo com toda a indicação e boas resenhas eu nunca tive muita vontade de ler, acho que mesmo com as capas diferentes que saíram essa foi a que melhor se encaixou com a sinopse, mas também de longe não é bonita. Eu gosto um pouco de distopias, mas não tanto. Esse eu deixo passar!

    ResponderExcluir
  7. Olá!
    Distopias não é meu forte, mas esse livro me deixou curiosa.
    Imagina um mundo onde você não pode quase nada? Deve ser horrível. Se tiver a chance vou querer ler sim, fiquei muito curiosa sobre essa situação.
    Bjokas!

    ResponderExcluir
  8. Oi Joyce, nunca tinha lido uma resenha sobre esse livro e até agora não tinha muito interesse em lê-lo, porém a história me deixou curiosa para saber como o autor desenvolveu isso tudo. É uma dica e tanto de leitura. Bjs

    ResponderExcluir
  9. Já ouvi falar tanto desse livro e, sim, preciso lê-lo urgentemente. Há uns dois anos li 1984 e, apesar de ser um gênero que não leio e ter "aquele" final, amei. Então com certeza vou adorar esse também.

    ResponderExcluir
  10. É um clássico e tenho vergonha de dizer que nunca li. Sei que distopia não é meu gênero preferido, mas acredito que o livro seja excepcional.

    ResponderExcluir
  11. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  12. Olá!
    Gostei bastante do livro, a capa é um pouco macabra, mas a estória parece ser bem interessante por se tratar dessa censura de não poder falar sobre as coisas e tals. Me interessei super.

    ResponderExcluir
  13. Essa é uma das leituras obrigatórias que devemos fazer, um livro atemporal que se enquadra em todos os momentos, é uma situação extremamente complicada essa de não poder falar nem fazer nada, serve de aviso para que nunca deixemos isso virar realidade.

    ResponderExcluir
  14. Oi!
    Já tinha visto esse livro antes mas ainda não tinha parada para ver sobre o que se tratava a historia e ela me surpreendeu positivamente, achei bem interessante o momento que o livro foi escrito e que ele retrata e mostra a realidade daquele regime !!

    ResponderExcluir